Calculo Biliar, Pedra na Vesícula ou Colelitiase

Saiba que Calculo Biliar é uma doença também conhecida pelos nomes de como Pedra na Vesícula ou ainda Colelitiase. O Cálculo biliar é uma doença que pode causar sérias complicações.

É muito importante cuidar e tratar o cálculo biliar o quanto antes, para que ele não cause complicações graves como a pancreatite.

Tratamento Pedra na Vesícula     Artrite e Artrose     NQI      SUPLEMENTOS      SAÚDE      NQI POWER      pedra nos rins     cálculo renal     Cálculos Renais     cogumelo do sol        NQI Cálculo Renal        NQI depoimento    NQI Cálculo Renal Tratamento    depoimento sobre o NQI   NQI Cálculo Renal    NQI funciona     Reumatismo  Hotel SP     Lista Hotel      Bula do NQI     Jornal da Saúde    

 

 

 

calculo biliar  ácido ursodesoxicólico   vesícula biliar    colecistite    bile    dieta   fotos   engorda    alimentação    causas     o que comer    tratamento    cirurgia da vesícula    pólipo    vesícula inflamada    sintomas 

 

 

 

 

Cálculo Biliar: encontre aqui tudo sobre calculo biliar.

 

PEDRA NA VESÍCULA         CAUSAS         SINTOMAS        PREVENÇÃO        TRATAMENTO

 

 

 

Cálculo biliar é um depósito duro como cristais de rocha que se forma dentro da vesícula biliar. Os cálculos biliares podem ser pequenos como um grão de areia ou grandes como uma bola de golfe.

Uma forte dor no estômago. Quando se torna ainda mais aguda, é sentida também na região das últimas costelas à direita. O desconforto diminui e aumenta de intensidade, como uma cólica, e acaba irradiando pelo abdome superior e pelas costas. Depois acontecem os enjôos e o vômito.

Esses são normalmente alguns dos sintomas de pedras na vesícula biliar, dado a ocorrência de uma cólica biliar.

 

Pedra na vesicula causa cólica biliar.

Segundo pesquisas, esse quadro doloroso não é incomum, já que de 10% a 20% das pessoas com idade entre 35 e 65 anos têm cálculos na vesícula. "A doença afeta mais a mulher, e algumas das possíveis causas são a síndrome plurimetabólica, descontrole hormonal em vários órgãos, a obesidade, o efeito sanfona, processo constante de ganho e perda de peso, a idade e a presença de diabetes", explica o infectologista e chefe da disciplina de Clínica Médica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Paulo Olzon Monteiro da Silva.

Cálculo Biliar ou Pedra na Vesícula

Mas é importante esclarecer que várias pessoas com cálculos biliares nunca tiveram nenhum sintoma. O cálculo biliar é frequentemente descobertos quando se faz um raio X de rotina, uma cirurgia abdominal ou outro procedimento médico.

No entanto, se uma pedra grande bloquear o duto cístico ou o duto de bile comum (chamado coledocolitíase), você pode ter uma dor como a cólica no meio do abdome superior direito. Isso é conhecido como cólica biliar. A dor passa se a pedra passar para a primeira parte do intestino delgado (o duodeno).

Os sintomas que podem ocorrer abrangem:
 
• Pode passar e voltar
• Pode ser aguda, provocar cólicas ou ser entorpecente
• Pode se disseminar para as costas ou abaixo da omoplata direita
• Ocorre poucos minutos após a refeição
• Febre
• Amarelamento da pele e da parte branca do olhos (icterícia)

Outros sintomas que podem ocorrer com essa doença incluem:

• Inchaço abdominal
• Fezes com cor de argila
• Náusea e vômitos

É importante consultar um médico se você tiver sintomas de cálculos biliares. Os cálculos biliares são encontrados em várias pessoas com câncer de vesícula biliar.

  

O tratamento para os problemas de cálculo biliar pode ser feito através de complementos, medicação ou cirurgias. A utilização alternada de fitoesteróis em cápsulas, óleo de oliva, cloreto de magnésio pa, chá de folha de abacateiro e chá de agulhas de pinheiro durante alguns meses normalmente diluem e eliminam as pedras na vesícula. O índice de sucesso varia de 40-80% e o tratamento em geral dura de 6 a 12 meses. Existe um medicamento a base de uma substância denominada ácido ursodesoxicólico que em alguns casos dissolve os cálculos formados apenas por colesterol, mas esta droga possui contra-indicações e só pode ser utilizada sob acompanhamento médico. É importante lembrar que para uso de medicamentos alopáticos é imprescindível a prescrição, orientação e acompanhamento médico.

 

Figado e a bile:

O fígado tem várias funções, dentre as quais a produção de bile. A bile é necessária para digerir as gorduras que ingerimos. O fígado produz 2 litros de bile por dia, em ritmo constante de produção. A bile goteja pelo canal do fígado (ducto colédoco), até desembocar no duodeno (duodeno é a primeira parte do intestino). Dessa forma o duodeno sempre tem bile para “recepcionar” uma eventual ingestão de gordura.

O canal do fígado (colédoco) tem uma ligação com um pequeno depósito chamado vesícula biliar, que armazena um pouco da quantidade da bile produzida (20 ml). Quando ingerimos uma refeição gordurosa, o duodeno “avisa” a vesícula sobre a presença de gordura. Em resposta a este aviso, a vesícula se contrai, enviando cerca de 20 ml de bile para o coledoco, o que promove uma pequena injeção extra de bile no duodeno, sincrônica à ingestão gordurosa, e isto auxilia a digestão das gorduras ingeridas.

As maiores complicações ocasionadas pelas pedras na vesícula são devido à migração dos cálculos. Se um cálculo migrar para o ponto de junção da vesícula com o coledoco, ocorre o entupimento da vesícula. Isso faz com que a vesícula se contraia, numa tentativa de se desobstruir. Instala-se, então, um quadro de dor intensa que se irradia para as costas, geralmente acompanhado de vômitos.

Freqüentemente, isso obriga o paciente a procurar um Pronto Socorro, onde recebe medicação antiespasmódica (Ex. Buscopan), que provoca o relaxamento da vesícula e permite que a pedra volte para a vesícula, o que alivia a crise . Algumas vezes o encaixe da pedra na junção da vesícula ao coledoco é tão firme, que a pedra não consegue voltar; nesse caso a cólica não passa . A vesícula entra em sofrimento, infecção e posterior perfuração com peritonite grave. Esse quadro é chamado Colecistite Aguda.

Algumas vezes estas pedras passam da vesícula para o canal do fígado (coledoco) e o entopem - nesse caso a produção de bile do fígado não consegue escoar para o duodeno. Ocorrem cólicas e a bile represada no fígado reflui para o sangue, surgindo assim a icterícia (coloração amarelada do paciente). Esse quadro é chamado Coledocolitíase.

Quando a pedra da vesícula entope o coledoco pode ocorrer também o entupimento do canal do pâncreas, causando a temível Pancreatite Aguda.

 

Outra complicação da vesícula que contém pedras é que nela pode surgir um Câncer, com freqüência muito maior que na vesícula normal. Trata-se de uma patologia rara porém, quase na totalidade dos casos, incurável.

Assim, se encontramos pedras na vesícula, mesmo que assintomáticas, devemos iniciar um tratamento para eliminação das pedras, pois as mesmas representam o risco constante de cólica, colecistite aguda, coledocolitíase, pancreatite aguda e câncer.
 

Pedra na Vesícula - Cálculo Biliar - Pedra na Vesicula

"A vesícula biliar é um órgão que se localiza junto ao fígado e tem a função de armazenar a bile, a qual é produzida pelo fígado, e liberada no intestino após as refeições. A bile ajuda na digestão das gorduras e tem um alto teor de sais biliares".

 

TUDO SOBRE PEDRAS NA VESÍCULA (CÁLCULOS BILIARES)

 

                   Procure no Google:

 

 

 

 

Copyright © - Todos os direitos reservados para o site Pedra na Vesícula - www.pedranavesicula.com.br - Revisado em Fevereiro de 2012.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

pedra na vesícula   cálculo biliar    pedra nos rins    cálculo renal

 

Agora que você já sabe o que é, os sintomas e como tratar, cuide-se e evite calculo biliar.